Um encontro com resultados...aterradores.

06
Fev 14
A "Eschola Principe da Beira" foi inaugurada no dia 6 de Março de 1894, mandada construir por Joaquim Carlos da Silva, posteriormente e devido aos feitos beneméritos em Gueifães tornado Comendador, Visconde de Gueifães por El Rei D.Carlos.

Na altura da sua vistoria em Janeiro de 1894, a escola que o povo apelidava de "Escola Nova" ou "Escola Régia" ficou instalada num edifício novo e expressamente construído para esse fim. O Primeiro de Janeiro, refere que o terreno foi oferecido pela Câmara Municipal da Maia e descreve assim o edifício: "É um belo edifício em cantaria lavrada, com uma grande sala de aula, devidamente mobilada e equipada, residência para a professora, edificada sobre um amplo e bem situado terreno, vedado, ajardinado, e com recreios, quintal e pôço de água". No dia da inauguração havia já matriculados 65 alunos, precendo-se chegar aos 100 alunos.

Segundo a publicação "Jornal da Maia" da altura em que se celebrava o 1º Centenário da inauguração deste edifício, sobre a escolha de SS.AA.RR. para inaugurar este edifício:

"(...)a cidade do Porto se preparava afanosamente para festejar o 5º Centenário do nascimento do Infante D. Henrique que ocorria no dia 4 de Março de 1894. A Família Real estava convidada para as comemorações e daí que surgisse a ideia de se convidarem os príncipes para inaugurar a escola que seria denominada "Príncipe da Beira" em homenagem ao príncipe D. Luiz. Solicitada autorização para a denominação, pela municipalidade da Maia, foi aceite o convite para inaugurarem a escola que ficou marcada para 6/3/1894. El Rei D. Carlos, a Rainha D. Amélia e os Príncipes D. Luiz Filipe e D. Manuel encontravam-se instalados no Porto, no "Palácio das Carrancas", como era chamado, situado à rua de D.Manuel II (hoje Museu Soares dos Reis). "

Depois de deixar de servir como Escola Primária, teve diversos usos e há poucos anos sofreu profundas obras de remodelação e recuperação, tornando-se agora num pólo de actividade para a comunidade gueifanense.

 
Um agradecimento especial a todo o apoio dado a este evento pela Junta de Freguesia da Cidade da Maia (conjugação das Freguesias de Gueifães, Maia e Vermoim).

Não se esqueçam de fazer a vossa inscrição para poderem participar num evento único.
A Noite de Lorde Byron estará presente na Mostra que se irá realizar em Gueifães no fim-de-semana de 15 e 16 de Fevereiro, quem ainda tiver dúvidas ou desejar discutir o que iremos fazer a 8 de Março, apareçam.

publicado por Joana Neto Lima às 13:23

29
Jan 14
Conheça Duda Falcão, um dos organizadores de Tu, Frankeinstein 2, o evento que inspirou a Noite de Lorde Byron.

Uma mensagem gravada especialmente para os participantes e interessados no evento a ocorrer dia 8 de Março em Lisboa e no Porto.
Ainda vão a tempo para se inscreverem, será uma noite diferente. --> LINK

Um obrigado especial a Duda Falcão pelo vídeo e por falar um poco mais da iniciativa "Tu, Frankenstein".
publicado por 7partidas às 23:37
editado por Joana Neto Lima em 30/01/2014 às 21:46

27
Jan 14

Na aurora da modernidade, novas questões culturais e sociais começaram a ser abordadas na literatura.

Um marco dessa corrente, "Frankenstein", surge após as noites de histórias que Byron, Shelley, Mary Shelley e Polydori criavam em desafio. Os efeitos humanistas da Ciência passam a integrar duma forma perene os mecanismos da sociedade. Desde então, inúmeros clássicos da Literatura foram escritos onde a interrogação entre o Humano e a Ciência (produto e prisão do primeiro) também se cruza com o horror, numa antecipação da célebre citação de Nietzsche.

A Noite de Lorde Byron surge internacionalmente para relembrar esse momento histórico e possibilitar novas interrogações e histórias. A 8 de Março de 2014, ocorrerá simultaneamente em Lisboa e no Porto, a primeira Noite de Lorde Byron lusa. Dela espera-se que saiam contos escritos ao vivo, que honrem o espírito da primeira noite, onde o terror da recusa humana em encarar a sua humanidade tomou forma nos diálogos de quatro amigos.

A organização da Noite de Lorde Byron convida todos os que não receiem aventurar-se por novos caminhos literários a participar, quer como autores, quer como assistentes dum desafio literário inédito em Portugal.

publicado por 7partidas às 21:22
editado por Joana Neto Lima em 30/01/2014 às 21:04

26
Jan 14

Um magnífico cartaz da autoria de Rui Alex.

 


Cartaz com programa

publicado por 7partidas às 01:28

15
Jan 14

A Noite de Lorde Byron é um evento que desafia um conjunto de autores a reunir-se e cada um escrever um conto de terror durante a noite.

O evento terá lugar no dia 8 de Março de 2014 no Porto e em Lisboa, com começo às 20h30.

 

Nas primeiras duas horas e meia o espaço encontrar-se-á aberto ao público em geral. Pretende-se que seja um local de encontro entre os vários entusiastas da literatura e de troca de experiências, que temos a certeza que honrarão as conversas que Byron teve com os seus convivas.

 

A partir das 23h, apenas os escritores ficarão no espaço e o evento poderá ser seguido on-line.

Inscrições abertas para quem desejar participar --> Link

publicado por 7partidas às 22:25
editado por Joana Neto Lima em 03/02/2014 às 18:16


Regulamento da Noite do Lorde Byron

O presente regulamento refere-se ao evento sem fins lucrativos de nome “A Noite de Lorde Byron”, a realizar-se no dia 8 de Março de 2013 nas cidades aderentes e com presença online através dos meios que se considerarem oportunos.

 

1 - Evento:

 

O evento terá início às 21h nas localizações a anunciar.

Entre as 20h30 e as 23h o espaço estará aberto ao público que poderá usufruir de um espaço de convívio preparado pela organização da cidade acolhedora. Durante este horário, haverá uma curtíssima cerimónia em que os escritores participantes assinarão um compromisso de honra de que escreverão um conto de terror/horror. Poderão haver outras actividades a designar.

 A partir das 22h até cerca das 3h os escritores participantes deslocar-se-ão para a zona de escrita onde irão escrever um conto a entregar à organização no final do evento.

Tipologia do espaço do evento:

  • Na zona de escrita será mantido o silêncio.
  • Os autores poderão escrever o conto com os meios que pretenderem (papel e caneta, computador…) sendo responsáveis por os trazer e pela sua segurança.
  • Não haverá acesso à internet para os escritores.
  • A cada hora será indicada uma pausa opcional em que os escritores serão convidados a dirigirem-se à zona de convívio. Os escritores têm a liberdade de se deslocarem à zona de convívio sempre que quiserem.
  • Na zona de convívio haverá bebidas e acepipes.

 

 

2 - Objectivo:

 

a)      Pretende-se que cada participante na sessão de escrita produza, no decorrer da mesma, um texto de ficção inédito, de sua autoria, inserido na temática comumente reconhecida como Terror, com ou sem elementos fantásticos;

b)      Para este efeito, e no sentido de equidade nas condições da participação, solicita-se aos escritores que:

  1. Não tragam textos previamente escritos, de forma total ou parcial;
  2. Envidem todos os esforços para conclur narrativamente o texto, de uma forma que considerem satisfatória, durante a sessão.

c)      É dada a liberdade aos escritores, para garantirem o melhor cumprimento dos objectivos da sessão, para que:

  1. Possam planear antecipadamente os pontos principais da narrativa ou sinopses como exercício de preparação, sendo que estes não deverão constituir texto efectivo e final;
  2. Possam rever o texto escrito na sessão caso venham a integrar uma publicação comemorativa do evento.

d)      Reunir a comunidade de escritores, leitores e entusiastas de horror e terror e potenciar a troca de experiências entre estes.

 

3 - Participantes:

 

O número de escritores participantes está limitado a 20, por cada cidade participante. No acto de inscrição, será pedido um breve currículo literário (máximo 200 palavras) e uma resposta criativa a uma pergunta. Estes elementos serão usados como critério de selecção, se necessário. A decisão sobre os escritores seleccionados cabe aos organizadores. Não haverá recurso.

A inscrição tem um custo de €5 por participante.

Será pedida uma inscrição gratuita aos visitantes por questões de organização. Visitantes sem inscrição poderão comparecer ao evento, mas em caso de lotação os visitantes previamente inscritos terão prioridade.

O evento poderá ser seguido online. A organização envidará os melhores esforços pela dinamização do espaço e transmissão em directo, com excertos das histórias a serem escritas, entrevistas flash aos autores durante os intervalos, fotos e curtas.

 

4 – Contos:

 

Não se especificam dimensões mínimas nem máximas aos textos a produzir, as quais serão ditadas pelas condições naturais do escritor no tempo disponível e no tema escolhidos. Contudo, pretene-se um conjunto de textos com um tamanho razoável, ou seja, 1500 palavras por escritor.

As versões escritas durante a sessão serão propriedade do autor, sendo no entanto pedida a partilha das mesmas com os restantes autores e com os organizadores. Textos escritos por meio informático deverão ser partilhados no final da sessão, textos escritos à mão deverão ser passados a meio informático após a sessão e enviados para os organizadores no espaço de uma semana, que se encarregarão de distribuir pelos outros participantes. Embora não se possa fazer controlo, a passagem para meio informático dos textos escritos à mão deverá respeitar a forma e conteúdo do que foi escrito durante a sessão, para respeitar o espírito da iniciativa.

Caso, na opinião dos organizadores, se verifique a existência de quantidade e qualidade, poderão estes exercer o direito de solicitar aos autores que os textos produzidos durante a sessão sejam incluidos numa antologia comemorativa do evento, sendo então os autores livres de efectuar melhorias e alterações ao texto de forma a produzir uma versão publicável, no seu entender (as melhorias e alterações, contudo, deverão ser mínimas e resultar num texto que não difira significativamente, em tema, forma, conteúdo e estilo, do inicial). Os autores poderão recusar a inclusão na antologia. Haverá apenas uma antologia comemorativa do evento como um todo, independentemente do número de locais em que venha a decorrer.

 

Nota final:

 

A participação no evento pressupõe a leitura e aceitação deste regulamento.

Todos os casos não patentes no presente regulamento serão decididos pela organização.

O presente regulamento poderá ser alterado sem aviso prévio.

publicado por 7partidas às 22:13
editado por Joana Neto Lima em 30/01/2014 às 20:56

Em 1816, Lord Byron convidou os seus amigos para uma festa na sua mansão na margem do Lago Leman, na Suiça. Nessa noite chuvosa, ele desafiou os seus convidados, de etre eles Percy e Mary Shelley e John Polidori, que escrevessem uma história de terror.

Algum tempo depois, surgiram dois clássicos da literatura: "O Vampiro" de John Polidoru e "Frankenstein, ou o Prometeu Moderno" de Mary Shelley.

 

Passados quase 200 anos, na Feira do Livro de Porto Alegre (Brasil), Cesar Alcázar e Duda Falcão organizaram um desafio de nome "Tu Frankeinstein" em que um conjunto de autores se comprometia a escrever um conto durante uma noite fechados na Biblioteca Pública do Estado do Rio Grande do Sul.

Poderão ler resenhas à noite aqui, aqui e aqui.


 

Inspirados, decidimos pegar nesta ideia e reinventá-la em Portugal.

O desafio será praticamente o mesmo: escrever uma história de terror durante uma noite. Porém, queremos que este evento tenha també uma faceta pública e de encontro (autores com autores, leitores com leitores e autores com leitores e todas as demais combinações possíveis).

publicado por 7partidas às 21:59
editado por Joana Neto Lima em 30/01/2014 às 20:55

Siga-nos no Facebook

www.facebook.com/noitedolordbyron

pesquisar
 
Contacto
noitelordebyron@gmail.com